terça-feira, 16 de novembro de 2010

a chuva também me lembra você

Minutos olhando aquele aglomero de gotas de água caindo, senti um frio umido subindo pelos meus braços. Senti então nos meus braços a solidão, senti a falta de que sua mão faz na minha, esquentando suas palmas e entrelaçando meus dedos. Me sinto mal as vezes pelas situações delicadas que acontecem, mas tento não pensar muito. Procuro ter pensamentos e energias positivas, pra quando nos encontrarmos novamente, nossos corpos estejam em sintonias iguais, boas, perfeitas para fabricar e distribuir a felicidade de estarmos juntos.

Um comentário:

  1. "Até cortar os próprios defeitos pode ser perigoso. Nunca se sabe qual é o defeito que sustenta nosso edifício inteiro." (Clarice Lispector)
    Abraços Victor.

    ResponderExcluir