segunda-feira, 20 de setembro de 2010

guerra.

Um exército russo, uma legião de demônios, centenas de milhares de zumbis, robôs alienígenas. Nada disso faz parte da minha guerra, que chama-se vida. o que faz parte da guerrado meu dia-a-dia são as escolhas, as razões, as preocupações, e as ambições. Desde o início, do dia em que eu nasci até hoje, são as escolhas que estão me direcionando. para um caminha melhor? talvez. na maioria das vezes são duas opções, ou você fsegue seu coração, ou segue sua cabeça. mas dentro destas escolhas eu tiro duas concluões. ou eu vou na fé, ou vou nio realismo (ou pessimismo propriamente dito). prefiro ter fé naquilo que eu escolho. mas não adianta ter "um pé atrás". A melhor coisa que me ensinaram até hoje, foi: Víctor, pra qualquer coisa, qualquer situação, faça na CERTEZA. não importa se você levará um dia para ter certeza, ou um ano. tenha certeza do que está fazendo, e não se arrependerá logo após. Ter certeza das minhas escolhas, é uma das razões que eu tenho de viver. Preciso ser forte, saber filtrar tudo aquilo de bom, que os momentos me proporcionam, tanto um momento perfeito, quanto um momento horrível. aprendizado, experiência, resistência, são palavras que devem estar toda a hora em pratica dentro de você. A preocupação de tudo isso, é saber o meu limite, sabem onde posso chegar, onde devo chegar. onde eu quero chegar. Preciso ter certeza de que estou evoluindo para melhor. tenho que me preocupar em fazer o bem, não só para mim, mas para pessoas que eu amo. fazer bem, fazer sorrir. dar um motivo, para pessoas confiarem uma parte de suas felicidades, em mim. Tudo isso que eu escrevi aqui, de forma resumida, me faz pensar todos os dias, quais são minhas ambições?

Nenhum comentário:

Postar um comentário